Este espaço é para si! Envie-nos a sua notícia: mscmail.fotorali@gmail.com

domingo, 8 de agosto de 2010

Crónica - 1º MotorShow da Póvoa de Lanhoso - Renault 11 Turbo

Decorreu debaixo de intenso calor e ficará para sempre marcado pela minha presença como concorrente, algo que aconteceu pela primeira vez.

A ideia surgiu quando foi divulgada a realização do evento. A existência do carro já com a preparação feita foi meio caminho andado e "apenas" foi necessária um pouco de mão de obra para colocar a máquina operacional.

A máquina, um Renault 11 turbo com motor de 1400cc, tinha já os elementos necessários montados: roll-bar, baquets, cintos, e isso foi um bom adianto visto que dispúnhamos de pouco tempo até ao dia da prova. No entanto havia muitos pontos onde tínhamos que trabalhar. O carro estava parado há cerca de 10 anos e a carroceria apresentava sintomas disso mesmo com bastante ferrugem para retirar. Depois era necessário instalar corta corrente, extintor, fechos de capot e porta da mala.
Iniciamos os trabalhos 2 semanas antes do dia da prova, primeiro com um tratamento geral à carroceria que apresentava bastante corrosão. Processo algo demorado mas que era imprescindível. Depois de uma boa limpeza e da aplicação de alguma massa, partiu-se para a "lavagem de cara", isto é, pintura nova quer interior, quer exterior.
Simultâneamente começou-se a instalar os elementos necessários (extintor, corta corrente...) e tudo isto sempre num constante frenesim devido à falta de tempo. De referir que todo o trabalho efectuado no carro foi feito no final do horário de expediente, incluindo sábados e domingos.Impressionante a rapidez com que as 2 semanas voaram. Pelo meio mais correria para encontrar alguém disposto a ceder o equipamento pessoal. Capacete e fato de competição. Felizmente que consegui arranjar esse equipamento, graças à boa vontade dos amigos que se prontificaram a ceder.

Véspera da corrida: Pintura, pronta, elementos de segurança montados, uma pequena revisão mecânica feita e quando vimos as horas, já passava das 21h. Foi só carregar o carro no pronto socorro e esperar pelo grande dia. A primeira vitória estava conseguida: ter a maquina pronta depois de 2 semanas intensas.



Póvoa de Lanhoso, 1 de Agosto. Pela manhã decorreram as verificações sem problemas e estávamos prontos para "atacar" a pista numa sessão de treinos livres. Com o numero 11 nas portas, entrei com muita cautela. Era o primeiro contacto com o carro em pisos de terra e o nervosismo da estreia fazia-se notar. No entanto tudo estava a ser bem simples e a confiança foi aumentando. Os meus companheiros de aventura, Manuel Matos com o numero 64 e Ademar Pereira com o numero 25, também efectuaram sem grandes problemas a sessão de treinos. Apenas a caixa de velocidades estava a dificultar um pouco a tarefa.
Partimos para a primeira manga. Manuel Matos foi o primeiro e logo aí notou-se que o problema da caixa tinha agravado. Seguiu-se Ademar Pereira que confirmou esses mesmos problemas de caixa. No entanto havia outro a surgir: algo estava a fazer o motor falhar momentaneamente.
Chegada a minha vez, constatamos um furo lento numa roda dianteira e também uma ligeira fuga de combustível no motor. Vimo-nos um pouco pressionados já que não tínhamos tempo para nenhuma reparação. Sem hesitação decidi correr nestas condições. Valeu a ajuda dos elementos da equipa, que enquanto eu me instalava ao volante e apertava os cintos, mudaram a roda furada num tempo recorde. Foi só entrar para a pista.
Dada a partida, arranquei sem medos e fui sempre muito confiante. Infelizmente a caixa de velocidades teimava em deixar "saltar" a 2ª mas mesmo assim ataquei a pista com convicção, algo que resultou na vitória em confronto directo com o meu adversário.
Terminada a primeira manga, a mecânica dava sinais de fadiga: a caixa de velocidades não colaborava, a temperatura do motor subia drasticamente e havia "o tal" problema que fazia o motor falhar. Levamos o carro à assistência onde heroicamente os mecânicos de serviço fizeram todos os esforços para resolver a situação.
Chegada a segunda manga, novamente Manuel Matos o primeiro em pista. No entanto com o motor constantemente a falhar, não foi possível fazer uma prova limpa. Terminada a prova de Manuel Matos, seguia-se Ademar Pereira e posteriormente eu. Porém, o problema da falha no motor, que era de origem eléctrica, não permitiu ir mais além e a aventura terminou aí (notamos logo que a falta de tempo para uma revisão mais profunda durante a preparação fez toda a diferença).

De forma resumida e apesar dos problemas, posso considerar que a prova foi um sucesso: o objectivo principal era rodar e terminar a prova com o carro inteiro. Objectivo que só não foi conseguido devido à avaria, mas mesmo assim saímos plenamente satisfeitos com o que conseguimos andar.

Resta-me deixar um grande agradecimento ao Manuel Matos e ao mecânico (o Zé) por todo o esforço despendido. Foi graças a eles que concretizei o sonho de me estrear em competição; ao Ademar Pereira pela ajuda ao dispensar o transporte do carro, ao Vital Rodrigues e ao Filipe Traila pela cedência do  equipamento pessoal e às empresas que depositaram confiança em nós contribuindo com os seus patrocínios: Manuel Matos Unipessoal Lda;  JMC Construções; Sucatas Rosas; Minho Brinde; Restaurante Golfinho e Fabrica de Estores Soleil.
A TODOS O MEU MUITO SINCERO OBRIGADO!

2 comentários:

  1. Parabéns e Continuação de um bom trabalho... Penso que a pequena Inês fez toda a diferença.

    Assinado: Os padrinhos da Inês.

    Esperamos estar presentes na próxima prova.

    ResponderEliminar
  2. A pequena Inês foi a maior e melhor ajuda que a equipa teve com toda a sua energia contagiante.
    Obrigado pela visita, esperemos que a "maquina" volte em breve ao terreno.

    ResponderEliminar